Você está aqui: Página Inicial > Pesquisa > Projetos de Pesquisa

Projetos de Pesquisa

publicado 12/02/2019 08h34, última modificação 09/07/2021 10h39
EM ANDAMENTO

Criação, manejo de água e parentesco no semiárido piauiense. Trajetórias e tecnologias da família Negreiros no povoado de Lagoa de Fora, São Raimundo Nonato-PI.

Responsável: Dra. Natacha Simei Leala

O presente projeto pretende analisar, a partir do enfoque etnográfico, saberes e práticas relacionadas ao manejo de água por pequenos criadores de ovinos, bovinos e caprinos da Caatinga, no Sudeste do Piauí.  A partir da revisão do aporte teórico mais clássico da antropologia rural, que fundamentou-se, sobretudo, pela tríade terra, trabalho e  família na constituição das sociedades camponesas (Woortman: 1994; Almeida: 1986; Heredia: 1978) e pela ênfase em uma perspectiva alquímica  (Marques e Leal: 2018) na produção de parentesco e socialidades, esta pesquisa pretende descrever  como tecnologias de gestão e manejo da água são indissociáveis de práticas e saberes relacionados à criação de animais em pequenos povoados de zonas rurais do semiárido brasileiro .  A pesquisa de campo será realizada em uma localidade do interior da cidade São Raimundo Nonato-PI, onde vivem um conjunto de pequenos agricultores familiares descendentes de um ancestral comum, Serapião Negreiros, membro de uma família que migra de Jacobina-BA, ainda em 1896, para o Sudeste do Piauí fundando o povoado hoje nomeado como Lagoa de Fora.  Pela descrição da trajetória da família Negreiros, indissociável da fundação de Lagoa de Fora, e a partir da  análise das tecnologias de criação notadamente marcadas por longos períodos de seca, esta pesquisa tem como hipótese de que o manejo da água, uma substância que se compartilha na localidade pela gestão de cisternas, barreiros, lagoas perenes, poços e barragens, se  fez - e se faz -  fundamental  para ocupação de territórios,  para o desenvolvimento de práticas, saberes  e memórias relacionados à pecuária, e, igualmente, para a produção de famílias e dinâmicas de reciprocidade e relacionalidades

 

Entre simbolismo e agência das peças de cerâmica da Serra da Capivara

Responsável: Me. Paula Layane Pereira de Sousa

As peças de cerâmica da Cerâmica Artesanal da Serra da Capivara são objetos feitos para a comercialização e com o intuito de promover o Patrimônio Mundial: pinturas pré-históricas presentes no Parque Nacional da Serra da Capivara. Tais objetos são entendidos dessa forma pela promoção do patrimônio, bem como por enunciados relacionados a atividade sustentável, economia positiva e promoção social. Por outro lado, as peças podem ser entendidas também por seus significados assumidos na vida sociocultural. Indo mais além, no uso da antropologia dos objetos, as peças apresentam relações de troca, simbolismos e capacidade agentiva, dando margem a questionar: o que estas peças nos dizem sobre a região da Serra da Capivara? Este projeto intenta uma etnografia das peças de cerâmica. Ao pensar as peças é possível entendê-las enquanto reprodução da cultura em um sistema de objetos na mesma medida que se mostram agentes em uma dada realidade. Com isto se tem uma etnografia das peças capaz de promover uma tensão entre teorias antropológicas simbólicas e agentivas sobre os objetos.

  

CONCLUÍDOS & ENCERRADOS

Benzedeiras e Benzedores no sudeste do Piauí

Responsável: Dr. Joaquim Izidro do Nascimento Jr

A pesquisa busca identificar, no sudeste do estado do Piauí, detentores de ofícios tradicionais de cura, suas práticas religiosas, conhecimentos de plantas medicinais, transmissão de conhecimentos, relações estabelecidas com órgãos oficiais de saúde, situações de discriminação, etc. Nosso propósito é compreender as ações que envolvem benzedeiras, benzedores e público atendido, partindo da ideia de que os referidos atores sociais estão situados em redes que são, ao mesmo tempo, “reais como a natureza, narradas como o discurso e coletivas como a sociedade”. 

Estudos sobre roupas e povos ameríndios.

Responsável: Me. Camila Galan de Paula

Esta pesquisa objetiva (1) realizar uma revisão bibliográfica sobre o uso de roupas não indígenas por populações ameríndias das terras baixas sul-americanas; (2) situar e rever materiais que a pesquisadora produziu previamente na relação com o povo Wajãpi (tupi-guarani, estado do Amapá) a partir da revisão bibliográfica a ser realizada. A partir dos anos 1980, pesquisas sobre vestimentas e modas ganharam relevo na antropologia mundial (Hansen, 2004), porém o tema é pouco trabalhado na etnologia sobre as baixas terras da América do Sul. Na etnologia, outro movimento teórico passou a compreender a centralidade que os corpos têm para entender os mundos ameríndios. Realizaram-se muitas pesquisas sobre ornamentação e fabricação corporal. O tema das transformações de vestimentas indígenas apenas mais recentemente passou a ser central em trabalhos de antropólogas e antropólogos lidando com povos ameríndios. Esta pesquisa visa a reunir e construir uma compreensão dos trabalhos que lidaram prioritária ou secundariamente com o tema das vestimentas, situando as diferentes abordagens e problematizações existentes sobre o tema. 

Imagens do território da Serra da Capivara: levantamento preliminar dos objetos de disputa territorial em cartografias de conflito e etnomapeamento de paisagens de aflição. 

Responsável: Dr. Bernardo Curvelano Freire

Situado em uma zona intersecional de pesquisa, o presente projeto é o primeiro passo na direção tanto de uma síntese teórica produtiva como a de uma convergência metodológica nas pesquisas sobre a relação entre poder, território e paisagem na região da Serra da Capivara (PI) realizado junto ao Laboratório de Metodologia, Pesquisa e Documentação em Antropologia (LaMPDA). As diversas frentes entre o desenvolvimento colaborativo de um acervo cartográfico orientado pela cartografia social,  as pesquisas sobre territorialidade e direito quilombola, e uma bibliografia sobre a história da terra e da gente do sertão do sudeste do Piauí, tem como objetivo realizar levantamentos multi-situados colaborativos relativos aos diferentes modos de usos da terra implicados em conflitos territoriais, presentes ou passados. Buscando referências metodológicas tanto na bibliografia consagrada que tem como objeto a questão quilombola, quanto em campos análogos que oferecem perspectivas renovadas de abordagem, o projeto orienta sua pesquisa de campo para diversas modalidades de acordo frustrados (da governança a acordos informais) que caracterizam a configuração das relações territoriais do território da Serra da Capivara contemporâneo. É com isto em vista que busca-se, no processo, incorporar tanto quanto possível as formas de convivência com a paisagem - o semiárido – em um esforço de pesquisa em antropologia reversa traduzida como etnomapeamento.

Quatro teses sobre o socius das séries mecânicas

Responsável: Dr. Rainer Miranda Brito

Por meio de pontuais revisões histórico-bibliográficas nas Ciências Sociais, esta pesquisa pretende forjar quatro pequenas teses sobre as séries mecânicas: (1) sobre o fenômeno de sua (re)produção entre os humanos; (2) sobre seu protagonismo como objeto de uma Ciência Social; (3) sobre a dependência entre morfologias coletivas mecânicas e humanas; (4) sobre a autoridade dos aparatos técnicos no trabalho humano. Essas quatro pequenas teses intentam realocar um itinerário acerca do socius dos seres mecânicos como uma provocação histórico-bibliográfica nas Ciências Sociais. Reclamam essas quatro teses uma revisão sobre a atividade dos seres mecânicos: antes de representarem uma era, regimentam um socius. Ao evitar o atalho do símbolo (e o significado) dos seres mecânicos e sua submissão aos âmbitos humanos, esta pesquisa excede o ponto de vista social da Humanidade para torná-lo um ponto de vista social das séries mecânicas.

Seleção e "raceamento" do gado Pé-Duro piauiense. Naturezas e culturas, raças e misturas.

Responsável: Dra. Natacha Simei Leal

O presente projeto pretende analisar, desde uma perspectiva antropológica, práticas e enunciados sobre os recentes investimentos na preservação e seleção de um tipo de gado nordestino, piauiense, o Pé-Duro. Estes animais, mestiços de entrecruzamentos entre bovinos da Península Ibérica que chegaram ainda no século XVI ao Brasil, estiveram em vias de extinção a partir da segunda metade do século XX: com a emergência da indústria frigorífica nacional, raças indianas (zebus) foram sucessivamente importadas ao país para abastecer o mercado da carne, dominando os campos e pastos do centro-oeste, sudeste, norte e também do nordeste brasileiro. Atualmente, no entanto, elites ganadeiras e pesquisadores da Embrapa defendem a viabilidade zootécnica dos PésDuros para a indústria da carne através de uma combinação de iniciativas: reconhecimento da raça, publicação de pedigrees, organização de feiras agropecuárias, tombamento destes tipos com um patrimônio histórico e cultural do Piauí, além da defesa da importância da biodiversidade de espécies domésticas nativas. Esta pesquisa objetiva acompanhar e descrever as controvérsias do “raceamento” do gado Pé-Duro, avaliando a produção de enunciados da genética, da cultura, do sangue, da mestiçagem, da economia, do pedigree, do ambiente, da tradição e da naturalização que, concomitantemente, buscam produzir a pureza destes tipos. Além disso, tomando a centralidade do conceito de raça em zootecnia, pretende demonstrar os conflitos e controvérsias que fizeram, e seguem fazendo, os rebanhos bovinos nacionais.